“Coudre? C’est facile!”

Há umas semanas recebi – finalmente! depois de ter de lidar com toda a ineficiência dos operadores de correios… – as revistas que encomendei no site francês Mamzelle Fourmi. São fascículos de uma edição especial da revista Coudre c’est facile, com imensos moldes japoneses giros giros, e de uma forma geral nada complicados de fazer. Tudo em bom, portanto!

A few weeks ago I – finally! – received the books I ordered from the French site Mamzelle Fourmi. It’s a number of fascicles from a special edition of the sewing magazine Coudre c’est facile, with lots of seriously cute Japanese patterns, all in all not so complicated to make. Great, great buy!

Coudre magazines

Molde: Tenho imensa dificuldade em escolher, de todos os moldes de todos os livros que já fui reunindo e de todos os retalhos de tecidos que fui comprando, o que é que vou fazer a seguir… As chatices de se ser Balança. Mas enfim, depois de alguma hesitação, avancei com um vestido do volume 4 da série. Tive de estreitar o molde ainda um bom bocado, até porque não havia tamanho S, só M e L.
Tecido: algodão liso azul acinzentado, da Feira dos Tecidos da Rua Áurea (fã das caixas de retalhos perdidos e baratuchos!).
Acabamento: fita de viés de algodão às riscas, de um tecido que “herdei” da caixa da minha mãe.

Pattern: I’m having serious trouble choosing what to do next with all the patterns from all the books I’ve been collecting and all the fabric scraps I’ve been buying… Comes with being a Libra. Anyway, after hesitating for a while, I went with a dress from volume 4 of the series. I had to narrow it a lot, as there was no Small size pattern. 
Fabric: greyish dark blue, again bought at Feira dos Tecidos (I’m a fan of those cheap scrap boxes!)
Finishing: home made bias tape made from a stripped cotton fabric I “inherited” from my mom’s sewing supplies box.

Vestido marinho

 

Aqui vai um styling de “Volta Primavera, estás perdoada!”:

Here’s to the “it came and it went away” Spring 2013:

 

Vestido marinho (2)

YES, we can!!

Depois de várias (variadíssimas!) tentativas, consegui, finalmente, fazer fita de viés!!! YES!!!

Segui este tutorial da Coletterie. Não foi fácil apanhar o jeito à coisa (alinhava mal o tecido e acabava por cortá-lo em círculos, em vez de numa fita contínua), mas finalmente, fez-se luz!

A fita de viés é óptima para dar um toque mais cuidado às costuras, e tem também imenso potencial decorativo, porque nos permite rematar as peças de uma maneira original, usando fita de viés do mesmo tecido (embora alinhado na diagonal – enviesado) ou de um tecido diferente! Além disso, é uma excelente forma de utilizar os retalhos de tecido que vão sobrando! =)

Depois de cortado o tecido, e para facilitar o trabalho, usei o fazedor de viés que podem ver na foto, que comprei na retrosaria. Easy peasy!