O padrão gatinho | Cat print

 

E acabei outro vestido! O molde é mais uma vez japonês, do livro Tuniques, robes, etc. de Yoshiko Tsukiori (edição francesa).

O tecido veio dos caixotes de retalhos da Feira dos Tecidos da Rua Áurea. Tem pequenos gatinhos enfurecidos, todos arqueados e de pelo eriçado. Adoro!

So I finished another dress! The pattern is once again Japanese, from the book Tuniques, robes, etc., by Yoshiko Tsukiori  (French edition).

The fabric came from a box of scraps at a store in Rua Áurea, Lisbon. It has tiny little apparently infuriated cats, with their backs all arched up and their hair all rough. Love it!

Anúncios

Outra blusa…

Vou deixar de dar nomes de meses aos meus projetos concluídos. Isto porque me parece que não vão chegar os 12 que o ano tem, tamanho tem sido o entusiasmo!

Oh esta nova blusa, de ar primaveril e um toque japinha:

O tecido é um dos que comprei há uns tempos, e que acho lindo e estava a morrer de medo de estragar. Acabei por conseguir fazer uma coisinha bem composta! As costuras ficaram todas bastante certas, e os pontos perfeitinhos! =’)

O molde é da edição primavera/verão 2012 da Burda Couture Facile.

Projeto abril: a blusa geométrica

No outro dia passei na Feira dos Tecidos da Rua Áurea e encontrei este tecido de padrão geométrico e cores quentes, em gaze de algodão. Um retalho pequeno, daqueles vendidos avulso. Gostei imenso dele e trouxe-o comigo.

Como tirei uns dias de férias, decidi avançar com a concretização de algumas das mil ideias que tenho pendentes.  E fiz esta blusa largueirona e fresquinha, que estimo usar algumas vezes neste próximo verão que não há meio de chegar.

Para evitar que as mangas me caiam dos ombros, acrescentei ao molde inicial (que tirei daqui) uns atilhozinhos feitos com o mesmo tecido, que aperto atrás (o styling do modelito ficará para uma próxima oportunidade. Está frio o tenho pouca vontade de trocar de roupa…).

Enquanto avançava com o trabalho, descobri que não era assim tão difícil fazer aquelas costuras fininhas, que podem ver na imagem – haja um ferro de engomar e um ponto (mais ou menos) certinho!

A costura teria ficado mais perfeitinha se eu tivesse percebido mais cedo que a rodinha no topo da máquina, que eu pensei ser para regular a largura dos pontos, serve afinal para definir a tensão da linha… Vivemos a aprender e morreremos sem saber, certo?

O vestido “março”

Nuuunca pensei algum dia fazer um vestido, muito menos um usável… Chuif… (lágrima de emoção)…! Preparem-se para ser surpreendidos…

A ideia foi mais uma vez retirada do blog Very Purple Person, deste tutorial.

O tecido principal – o verde axadrezado – foi um dos que comprei no sábado passado na Feira dos Tecidos da Rua Áurea, e o que usei como exterior da parte da cima do vestido veio do baú da minha mãe. Há-de ter perto de 15-20 anos, acho eu… e lembro-me de ela ter alguma peça de roupa feita com ele… mas não me lembro exatamente o que era… acho que uma blusa… não sei, só sei que havia um alfinete muito giro que fazia parte do modelito…! Coisa curiosa, a memória…

E é isto! Estou bastante contente comigo! =) Foi um domingo trabalhoso, mas no fim do dia tenho mais um vestido! =D